Férias no paraíso: tudo sobre minha viagem para Itacaré-BA

Posted on

Oi gente, tudo bem? O post de hoje foi muuuito pedido por vocês, então eu resolvi fazer uma “resenha” dessa viagem tão maravilhosa que fiz com meu esposo para um paraíso no sul da Bahia: Itacaré. A cidade é conhecida por suas belezas naturais, esportes radicais (entre eles o surf) e aventuras. A região consagrou-se como um dos destinos turísticos mais cobiçados do mundo. Suas praias são famosas por serem super preservadas, com uma linda combinação entre o mar e a Mata Atlântica.

Então vamos começar sem muita enrolação, né! Mas já vou avisando que o post ficou gigante, mas te garanto que vale toda a leitura!

Chegamos em Itacaré dia 11 de abril (quarta-feira) e voltamos no dia 16 (segunda). Esse período foi o suficiente para conhecermos as principais praias da região, descansar e curtir. E para ficar mais fácil, resolvi separar as dicas por tópicos como praias, restaurantes, hospedagem etc.

Passagem + hospedagem

Fechamos um pacote de aéreo+hospedagem pela CVC, devido a praticidade. Para os dois, ficou uma média R$ 2,2 mil. Voamos de Latam, com voo direto de aproximadamente 1h30 para Ilhéus-BA. O aeroporto de lá é bem pequenininho e super simples. Chegando lá, pegamos nosso carro alugado na Unidas, e a reserva foi feita com antecedência. O valor do aluguel por 5 diárias ficou R$ 434,00 (340 + 100,00 pelo tanque cheio de combustível).

O tempo de viagem de Ilhéus para Itacaré é de cerca de 1h30, e a distância entre as cidades é mais ou menos 72 km. A pista que liga as cidades é a BA 001, que é bem sinalizada, toda asfaltada, mas com trechos ruins e esburacados. Nada que impeça você curtir a viagem. E claro, eu acho que alugar um carro faz toda a diferença na qualidade da sua viagem. Você faz o seu roteiro, os seus horários, e tem a liberdade que um grupo de turistas que vai com agência não tem.

Nos hospedamos na Pousada Recanto da Conha, que fica numa das únicas ruas com calçamento em Itacaré. É uma pousada simples, mas aconchegante. Possui estacionamento pequeno (média de 6 carros), piscina, quartos com suíte, cama de casal e solteiro, frigobar, ar condicionado, ventilador, wi-fi e tv aberta (não ligamos pra isso, porque nem assistíamos TV). A pousada oferece café da manhã com carinha de casa, sabe? Pães, bolos, sanduíches, tapioca. Tudo simples, mas muito gostoso e feito com carinho. As pessoas que nos atenderam por lá foram de uma simpatia incrível e presteza. Se você procura um cantinho legal, aconchegante e em conta, pode se hospedar lá. A média da diária para essa época do ano (baixa temporada) foi R$ 170, mas se você fechar direto com eles consegue baixar esse preço.

Sobre a cidade

Amamos Itacaré. A cidade não estava tão cheia, então tudo era mais fácil. Muitas opções de restaurante, lugar pra estacionar, preços mais em conta e o principal: tranquilidade. A cidade tem uma rua principal onde tudo acontece: Pituba, que fica pertinho da Passarela da Vila. Lá você encontra de tudo em termos de comércio, além de atrações musicais e de cultura local. Aliás, Itacaré tem uma cultura riquíssima, uma mistura de cidade pequena com gente do mundo inteiro, meio hippie, meio rasta!!! Tinha muuuito estrangeiro na cidade, e isso é muito bacana!

Gastronomia

Se eu pudesse resumir em uma frase a nossa experiência gastronômica em Itacaré, diria que comemos muito bem! Sempre que vamos à praia, damos preferência para as comidas típicas dessa região, e que geralmente é à base de peixe e frutos do mar. E nesse destino não foi diferente. Abaixo a relação de restaurantes que conhecemos e o preços das refeições:

Praias urbanas

Itacaré possui 4 praia urbanas: Praia do Resende, Praia do Tiririca, Praia do Costa (que não fomos) e Praia da Ribeira. Elas ficam pertinho do centro da cidade e podem ser acessadas facilmente a pé ou de carro. Todo o trajeto tem calçamento, e em algumas praias têm uma pessoa que cobra pelo estacionamento, cerca de R$ 10. Uma dica: leve dinheiro em espécie. A maioria das praias não passa cartão de débito/crédito, então vá preparada (o).

Tem também a Praia da Concha, que fica na orla da cidade, e é uma praia de águas calmas e excelente infraestrutura. Não ficamos nenhum dia nessa praia, e só passamos por lá pra conhecer.

Foto: Renato Costa

Praia do Resende: É a primeira no caminho das praias. Praia linda, porém com pouca infraestrutura, algo comum em Itacaré. Fortes ondas, areias brancas, imensos coqueirais. Passamos por lá só um dia, pra ver o pôr do sol e os surfistas que brincavam na praia ao lado (Praia da Tiririca).

Praia da Tiririca: Essa praia possui uma estrutura um pouquinho melhor que a do Resende. Tem bicas naturais e um bom restaurante. Lá tivemos que alugar o guarda sol e duas cadeiras. A praia é um dos picos de surf da região, e recebe campeonatos nacionais e internacionais, por isso está sempre cheia de surfistas. Foi por esse motivo não ficamos muito tempo lá.

Praia da Ribeira: esta é a última praia das urbanas, e a que tem a melhor infraestrutura. Lá tem um bar bem grande, com chuveiro, mesas, cadeiras e guarda sol. Não tem consumação mínima e no dia que fomos, não estava passando cartão. A praia é linda, ótima pra banho. O rio de águas claras forma uma piscina natural, com a Mata Atlântica em seu entorno. O famoso circuito de arvorismo e as tirolesas oferecem diversão garantida.

Praias afastadas do centro de Itacaré

Itacaré conta com várias praias mais afastadas do centro da cidade, e pra ir até lá basta pegar o caminho de volta sentido Ilhéus. Elas ficam cerca de 10 km a 15 km da área urbana. E já adianto: vale suuuuuper a pena ir em todas. Abaixo um breve resumo daquelas que visitamos.

Itacarezinho: Na minha opinião, foi a melhor praia que visitamos. Melhor infraestrutura, praia mais linda, melhor atendimento. Para descer com o carro até lá embaixo na praia, você paga R$ 30, e você estaciona pertinho da praia. Ao chegar lá, você logo se impressiona com a beleza do restaurante Itacarezinho, que cobra uma consumação mínima para a permanência nas dependências (bangalô e lounge). No bangalô pagamos R$ 50 por pessoa, e no lounge o valor era de R$ 400 pra até 4 pessoas. Os preços não são os melhores, mas valeu cada centavo.

As fotos de lá são, sem dúvida, as mais lindas dessa viagem e fizeram muito sucesso no meu Instagram (aliás, já aproveita e me segue lá: @ericatelesblog)! Esse lugar é um verdadeiro paraíso! Amamos a experiência. Lá comemos o risoto de camarão mais gostoso da minha vida, e depois descobri que o Chef de lá é o Clécio Campos, que participou do Masterchef Brasil. Tava explicado!

Praias do Havaizinho e Engenhoca: Coloquei as duas juntas porque elas são acessadas pela mesma trilha, que dura cerca de 15 minutos mata a dentro. A dificuldade dessa trilha é média, mas quando fomos tinha acabado de chover, então tava mais chatinho. No entanto, nada muito difícil. Vá preparada pra andar e não precisa de tênis (eu fui de havaiana e deu tudo certo). A praia do Havaizinho não foi muito atrativa pra gente, mas tem uma bela vista. Ela é bem deserta, pequena, com ondas fortes e correnteza. De lá resolvemos ir pra Engenhoca, que de Havaizinho é mais 20 minutos de trilha, e por lá passamos o restante da tarde. Engenhoca é uma praia extensa, com boas ondas e cortada por um rio, formando um cenário paradisíaco.

Praias de Jeribucaçu e Arruda: As praias ficam no caminho de volta a Ilhéus, a cerca de 10km de Itacaré. O acesso é pela Vila Marambaia, e são 4 km de estrada de terra até o estacionamento. Pra chegar lá é necessário caminhar por trilha em meio à Mata Atlântica por 35 minutos. Pagamos R$ 10 para estacionar, e chegando lá algumas crianças se ofereceram para nos levar até a praia por R$ 15 por pessoa. Dispensamos e fomos sozinhos. Essa foi a trilha mais difícil pra nós. O caminho tem muitas subidas e decidas íngremes, e recomendo ir de tênis nesse caso. Realmente foi bem cansativo, mas a praia de Jeribucaçu é linda e valeu super a pena. Ela é cortada pelo Rio Jeribucaçu, e  conforme a maré vai subindo, ele vai se juntando com o mar. É realmente lindo! A estrutura da praia é básica, onde se servem bebidas, peixe frito e água de coco. Pagamento em espécie.

De lá fomos pelo litoral mesmo até a praia da Arruda. O caminho é meio tenso, confesso, porque é pelo “penhasco” na beira do mar, mas dá pra ir. Basta coragem e disposição, o que não faltam pro meu marido…rsrsrs! A praia da Arruda é famosa por suas piscinas naturais que se formam durante a maré baixa. Ficamos lá um pouquinho e voltamos pra Jeribucaçu.

Primeira parte do Vlog. Em breve libero a segunda parte!

2 Comments

  1. Nicole says:

    Que viagem incrivel! Fui para a Bahia apenas quando eu era pequena. Adorei as tuas fotos do post, todas muito bem tiradas.

    Beijos,

    Nicole (Nica)
    Why Not?

    1. Erica Teles says:

      Ah, que mara! Bahia é tudo de bom mesmo, né? Amo demais!Fico feliz que tenha gostado do post!
      Bjus

Leave a comment

Your email address will not be published.